Agronomia

Curso de agronomia é composto, prioritariamente, por disciplinas de ciências biológicas e exatas.

Publicado por Wanja Borges em Ciências Exatas

Compartilhe

Profissional de Agronomia deve ter uma visão ampla da cadeia de produção e do processo de comercialização
Profissional de Agronomia deve ter uma visão ampla da cadeia de produção e do processo de comercialização

Gostar de passar o fim de semana no campo é suficiente para fazer agronomia? Certamente que não, afinal o exercício da profissão engloba várias outras características. Todavia, pode ser um ponto decisivo na escolha do curso. Mais do que gostar de plantar e colher, o agrônomo deve ter uma visão ampla da cadeia de produção e do processo de comercialização.  

Este profissional participa, ativamente, de todas as etapas de produção e comercialização dos produtos, desde o plantio até o armazenamento e distribuição da mercadoria. Além disso, é de sua competência planejar, auxiliar e executar serviços ligados à preparação do solo, plantio, adubação e colheita. Vários outros serviços ligados à produção agropecuária também são desenvolvidos por este profissional visando garantir uma produção lucrativa com qualidade, produtividade e conservação do meio ambiente. 

Público-alvo
Para atuar na área de agronomia é preciso, em primeiro lugar, gostar de animais, natureza e atividades ao ar livre. Pisar no barro ou andar na chuva são algumas das práticas que integram o dia a dia dos agrônomos. Além disso, atenção, concentração, organização, criatividade, senso prático, dentre outras, são características fundamentais para o bom exercício da profissão. O domínio do inglês e da computação também já se tornou exigência comum para o cargo.  

O curso
O curso de agronomia é composto, prioritariamente, por disciplinas de ciências biológicas e exatas como zoologia, matemática, biologia, morfologia, química, microbiologia, anatomia, genética, mecânica, economia, estatística etc. O estudo das matérias básicas é primordial para entender os fenômenos e os princípios que envolvem o solo, plantas e animais, matérias estudadas nos períodos seguintes. A partir do segundo ano, algumas matérias específicas já começam a ser ministradas. Estágio supervisionado e aulas práticas também integram a grade curricular da graduação. 

Duração média 
Bacharelado – 8 a 10 semestres 

Mercado de Trabalho
Em razão da forte expansão da agropecuária no país, a agronomia vem garantindo espaço no mercado de trabalho, diuturnamente. Mesmo sem receber tantos investimentos do Governo Federal, em decorrência dos cortes significativos instituídos pelo poder, a agronomia continua sendo uma profissão disputada no mercado. Grande parte das vagas está concentrada nas regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte. As áreas de assistência técnica, agroecologia e extensão rural são as áreas mais comuns de atuação, principalmente em instituições públicas. Já na iniciativa privada, as oportunidades se concentram nos setores de gerenciamento e administração de propriedade própria, implantação de escritório de planejamento e empresas de perícias judiciais. 

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Formas de Atuação
O profissional graduado em Agronomia pode atuar em diversas áreas, como administração de propriedades rurais, defesa sanitária, indústria de alimentos e insumos agrícolas, empresas de gestão ambiental e agronegócio, laboratórios de pesquisa científica, tecnológica e, ainda, consultoria. 

Campos de Atuação 
Administração rural
(gerenciamento de unidades de produção de propriedades rurais, compras, equipamentos, recursos humanos, etc.) 

Agribusiness
(pesquisa e orientação do uso de fertilizantes, agrotóxicos e rações, acompanhamento da safra desde o plantio até a venda, etc.) 

Agroecologia
(pesquisas de meios de conserva e aumento da fertilidade dos solos, zelo pela utilização racional da terra, água, flora e fauna; etc.) 

Defesa sanitária
(prevenção de doenças da lavoura, combate às pragas, etc.) 

Economia e administração Agroindustrial
(planejamento e gerenciamento de operações de distribuição e venda de produtos agrícolas, coordenação de programas de crédito rural para cooperativas e pequenos produtores, etc.) 

Ensino
(ensino em escolas públicas ou particulares de educação profissional, faculdades, etc.)

Engenharia rural
(supervisão da construção de instalações rurais, como nivelamento do solo, sistemas de irrigação e drenagem, etc.)

Fitotecnia
(controle do uso de sementes, adubos e agrotóxicos, prevenção de doenças e pragas, etc.)

Manejo ambiental
(exploração racional de recursos naturais, preservando o meio ambiente, etc.) 

Melhoramento animal e vegetal
(realização de pesquisas, desenvolvimento de técnicas visando à melhoria da produção, etc.) 

Produção agroindustrial
(gerenciamento do processo de industrialização de produtos agrícolas, controle da qualidade final da produção, pesquisa de novas tecnologias e produtos, etc.) 

Solos
(preservação da fertilidade, controle das propriedades físicas dos solos, prescrição do seu manejo, etc.) 

Silvicultura
(recuperação de matas devastadas, cuidado com o plantio, manejo de áreas de reflorestamento, preparação de relatórios de impacto ambiental, etc.) 

Zootecnia
(cuidado da saúde, alimentação, reprodução, adaptação ao meio do rebanho, etc.)

Regulamentação da profissão 
Lei nº 5.194 de 24 de dezembro de 1966

Quantidade média de profissionais
156.883 profissionais no Brasil em 2012

Remuneração média
R$ 3.732 para jornada de trabalho diária de 6 horas
R$ 4.510 para jornada de trabalho diária de 7 horas
R$ 5.287 para jornada de trabalho diária de 8 horas

Exigências para exercício da profissão
Diploma de conclusão de curso de bacharelado em Agronomia
Habilitação legal - Registro Profissional no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA)

A opinião de quem entende
O Super Vestibular quer saber como é a sua experiência como agrônomo ou estudante da área. Conte-nos!

VEJA TAMBÉM

1 2
  • Confira a 3ª chamada do Vestibular 2019 da UNEB

    A Universidade do Estado da Bahia (UNEB) publicou na tarde desta sexta-feira, 22 de fevereiro, a relação de aprovados na terceira chamada do Vestibular 2019.

  • Fuvest solta a 5ª chamada do Vestibular 2019

    A Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest) divulgou hoje, 22 de fevereiro, a 5ª chamada do Vestibular 2019 para ingresso na Universidade de São Paulo (USP). Agora, é necessário fazer a etapa virtual, das 08h de segunda-feira, 25 de fevereiro até as 16h do dia 26.

  • Unicamp divulga 3ª chamada do Vestibular 2019

    A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) soltou nesta quarta-feira, 20 de fevereiro, os aprovados em 3ª chamada no seu Vestibular 2019. Conforme o calendário liberado pela universidade, os selecionados deverão fazer as matrículas no dia 22 de fevereiro.

  • UEM divulga mudanças para o Vestibular 2019

    A Universidade Estadual de Maringá (UEM), divulgou essa semana a aprovação de alterações no regulamento do Vestibular para cursos de graduação em 2019. O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEP) da Universidade deu o aval nas propostas sugeridas pela Comissão Central do Vestibular Unificado (CVU).

  • 2ª repescagem do PS 2019 da UFPA está disponível

    A Universidade Federal do Pará (UFPA) soltou ontem, 20 de fevereiro, o resultado da 3ª repescagem seu Processo Seletivo (PS) 2019, cujo critério de seleção foi o desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018. Selecionados deverão realizar matrículas a partir desta sexta-feira, 22, para a entrega dos documentos exigidos no curso em que foram classificados.

  • 2ª reclassificação do PISM 2019 da UFJF é publicada

    A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em Minas Gerais, solto nesta quarta-feira, 20 de fevereiro, a lista de aprovados na 2ª reclassificação da terceira etapa do Programa Seletivo de Ingresso Misto (PISM) 2019. Agora, os aprovados deverão fazer a pré-matrícula online até sexta-feira, dia 22.