1. Home
  2. Enem
  3. Dicas para o Enem
  4. Dicas de Linguagens e Redação para o Enem
  5. Os erros mais cometidos na competência 1 da redação do Enem

Os erros mais cometidos na competência 1 da redação do Enem

A nota da primeira competência depende do domínio que o estudante tem sobre a norma padrão da língua escrita.

Publicado por Rafael Batista em Dicas de Linguagens e Redação para o Enem

Compartilhe

Alguns erros cometidos na prova de redação acontecem na hora de usar crase, pontuação, concordância e regência.
Alguns erros cometidos na prova de redação acontecem na hora de usar crase, pontuação, concordância e regência.

Uma das grandes preocupações para os estudantes que fazem o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é não zerar a prova de Redação. Existem critérios previstos para a correção da prova e alguns deles, se não forem atendidos, podem atribuir nota zero ao texto do candidato.

Outras falhas não tão graves não causam desclassificação do estudante, mas podem diminuir a nota e a chance de vaga em um curso superior. Muitas falhas podem ser evitadas, se o candidato prestar atenção na hora de escrever a redação. 

Com a ajuda do Professor Raphael Torres, do QG do Enem, listamos os erros mais comuns na competência 1 da prova de redação do Enem e separamos algumas dicas para ajudar a não cometer as mesmas falhas. 

A competência 1 da redação do Enem exige do participante demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita. Essa primeira habilidade diz respeito, entre outras coisas, ao uso correto da crase, concordância nominal e verbal, regência do verbo, colocação pronominal e pontuação. Alguns cuidados devem ser tomados na hora da prova para que esses erros não sejam motivos de frustração.

Crase

Um pouco de atenção basta, pois a regra é objetiva: não se usa crase antes de palavras que não vêm precedidas do artigo definido feminino “a”, como é o caso dos substantivos masculinos, infinitivos de verbos e pronomes. Em alguns casos, o uso é facultativo, por exemplo: antes de pronomes possessivos femininos, depois da preposição “até” e antes de nomes próprios femininos (de pessoas).

Segundo o Professor Raphael Torres, nesse caso o erro mais comum é uso do acento grave em contextos que não exigem. “Há um fenômeno chamado hipercorreção, que consiste em fazer mais do que o exigido pela regra”, explica o professor. Isso acontece “por receio de se contrariar o que a norma exige”, completa.

Veja alguns exemplos:

Uso obrigatório:
Sua tarefa do dia era ir à escola.

Uso facultativo:
Desejei boa viagem à (a) minha prima.

Uso indevido:
Boa tarde à todos.

Concordância

Esse é um outro problema detectado nas redações do Enem, especialmente no que diz respeito à Concordância Verbal. Na maioria das vezes, isso se explica “pelo fato de o candidato optar pela inversão da ordem direta de certas orações”, expõe Raphael Torres. O uso de elementos entre o sujeito e o verbo também tende a tirar do estudante a devida concordância de gênero e número entre as duas estruturas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Errado

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Não se deve considerar correto, embora haja uma sociedade que concorde muitas vezes com essa postura, toda agressão moral a que mulheres são submetidas diariamente em suas rotinas.

Correto

Não se deve considerar correta, embora haja uma sociedade que concorde muitas vezes com essa postura, toda agressão moral a que mulheres são submetidas diariamente em suas rotinas.

Regência

Aqui é uma dificuldade encontrada na língua portuguesa, pois alguns verbos contam com mais de uma regência e, por isso, podem causar confusão na hora de escrever. Nesse caso, além do erro gramatical, a confusão pode comprometer a coerência do texto.

Veja um exemplo de verbo com mais de uma regência:

Assisto ao jogo com meu pai. (Aqui o verbo aparece com o sentido de “ver”)
Assisto o jogo com meu pai. (Aqui o verbo aparecer com o sentido de “ajudar”)

Colocação Pronominal

Os erros cometidos nesse caso estão ligados ao uso Próclise, Mesóclise e Ênclise, pois o emprego de pronomes oblíquos no português do Brasil é diferente do praticado na Europa. Segundo o Professor Raphael, o erro mais comum é o uso de próclises em inícios de frase ou posteriores a pontuações de pausa.

Exemplos:

Errado: Me falaram que eu estou muito bem.
Certo: Falaram-me que eu estou muito bem.

Pontuação

Um último erro cometido com frequência dentro desta primeira competência é o uso indevido de pontos e vírgulas. “Muitos candidatos ainda optam por fazer de vírgulas e outros sinais elementos marcadores de ênfases e pausas, comprometendo seriamente bases gramaticais”, explica o professor.

Veja alguns erros:

Certo:
Setores da iniciativa privada fortalecem a economia quando em parceria com o Estado.

Errado:
Setores da iniciativa privada, fortalecem a economia quando em parceria com o Estado.
Setores da iniciativa privada fortalecem, a economia quando em parceria com o Estado.

Nota Máxima

Essa primeira habilidade avalia o conhecimento do estudante sobre a modalidade escrita da Língua Portuguesa. Por isso, para obter nota máxima na competência 1 da prova de Redação do Enem o estudante precisa demonstrar excelente domínio da modalidade escrita formal da língua português e não cometer erros gramaticais reincidentes. Confira outras dicas pra ter sucesso na prova de redação do Enem.

VEJA TAMBÉM

1 2