Logo Super Vestibular
  1. Home
  2. Enem
  3. Como trabalhar no Enem

Como trabalhar no Enem

Para trabalhar no Enem é preciso cumprir alguns requisitos, que podem variar dependendo da função.

Publicado por Érica Caetano
Trabalhar no Enem
Trabalhar no Enem

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é a maior prova do país e essa grandiosidade demanda uma força tarefa de pessoas trabalhando durante a sua realização. No entanto, poucos sabem, de fato, como fazer para trabalhar no Enem.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), organizadora do Enem, é quem define os cargos e funções das pessoas que trabalham no exame. Basicamente, existem os cargos de certificador e colaborador, cada um com algumas funções.

Certificador: em geral, são os coordenadores do Enem, os representantes do Inep nos estados, nos municípios e nos locais de aplicação do exame. 

Colaborador: são as pessoas que trabalham dentro dos locais de provas, como aplicadores de provas, assistentes de aplicação, aplicadores volantes, fiscais de banheiro, corredor e portão e os colaboradores que auxiliam candidatos que possuam algum tipo de deficiência, como os Intérpretes de Libras e Ledores.

Como trabalhar no Enem?

Geralmente, o Inep faz a divulgação por meio de documentos oficiais sobre os requisitos necessários para aqueles que desejarem trabalhar no Enem como certificadores.

Apenas servidores podem ser certificadores do Inep. Ou seja, é preciso ser servidor público do Poder Executivo Federal regido pela Lei nº 8.112 ou docente da rede estadual ou municipal de ensino efetivo e registrado no Censo Escolar.

Nas últimas provas do Exame, foram exigidos os seguintes requisitos:

- Ter formação de nível médio;
- Não estar inscrito na edição em questão do Enem;
- Não ter cônjuges e parentes de até terceiro grau inscritos na edição em questão do Enem;
- Não ter contato com o processo de produção das provas;
- No caso do servidor público, o trabalho nas provas não pode exceder 120 horas de gratificação.

Preenchendo os requisitos, aqueles que sejam servidores públicos deverão se inscrever através da página da Rede Nacional de Certificadores (RNC), dentro do prazo previsto em Edital. Finalizando o cadastro, o servidor terá acesso à página de acompanhamento, com notícias sobre o Enem e informes da capacitação.

Outra possibilidade de trabalhar no Enem é através de bancas, as quais são responsáveis pela aplicação das provas. Neste caso, o consórcio que é formado pelas Fundações Getúlio Vargas (FGV) e Cesgranrio tem seus respectivos sistemas de cadastro próprios para os interessados.

Para este último caso, não são abertos prazos de inscrições para aqueles que desejem atuar nas bancas específicas que aplicam o Enem, mas sim para todos os processos seletivos que essas instituições realizam. Então, todos aqueles que possuem cadastro neste banco de colaboradores podem ser “convocados” a trabalhar. 

Como é a seleção dos certificadores e fiscais?

Os servidores inscritos na RNC passam por capacitação on-line nos meses que antecedem o Enem. Por conta do curso, é necessário possuir tablet ou celular com acesso à internet.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A comunicação com os colaboradores do Enem é feita totalmente por sistema digital, e aqueles que consigam alcançar desempenho superior a 70% no curso são considerados aptos a atuarem no Enem. Contudo, nem todos os habilitados são chamados para trabalhar no Enem.

Os convocados para trabalhar no Enem têm um prazo de 48h para responder a convocação. No caso de não responder ou rejeitar a convocação, outra pessoa apta é chamada.

Os fiscais contratados pelo consórcio que aplica o Enem também passam por uma capacitação pela internet. Além disso, nas manhãs dos dias de provas, recebem um treinamento específica para suas funções. As orientações são dadas pelos certificadores.

Neste treinamento, os fiscais são orientados quanto a procedimentos de segurança das provas e medidas a serem tomadas, caso necessário, durante a realização do Exame. 

Funções dos fiscais e certificadores

Dentre as atividades dos fiscais estão a de coleta das digitais dos candidatos no dia de provas do Enem, conferir documentos, fiscalizar lanches (se necessário), informar aos participantes o horário, já que não é permitido o uso de relógio durante a realização do Exame, e recolher a assinatura dos participantes presentes para a lista de presença. 

Já os certificadores trabalham como representantes do Inep em todos os locais de provas, sendo responsáveis por conferir se os procedimentos padrões do Exame estão sendo realizados na conformidade, como é o caso da chegada e abertura dos malotes, a distribuição correta das provas, o trabalho dos chefes de sala, aplicadores, fiscais e etc.

O trabalho é feito através de um aplicativo no qual os certificadores enviam alertas e demais relatórios ao Inep durante a realização do Enem. Somente servidores públicos federais e professores da rede pública podem se candidatar a trabalhar como certificadores. 

Quanta ganha um fiscal do Enem?

Mas você deve estar se perguntando: “Trabalhar no Enem possui alguma remuneração?”

É pago aos servidores públicos o valor por hora trabalhada, que em média, sai por R$ 28,50 a hora, totalizando numa remuneração de R$ 342 por dia do Enem ou R$ 684 pelos dois dias. Esse valor é pago através da folha de pagamento do servidor.

Vale lembrar que estes valores podem sofrer variação se o colaborador não for servidor público. Para estes casos, o pagamento é feito por Ordem Bancária, na conta-corrente que o colaborador indicar.

Não há informações sobre o valor pago aos fiscais que trabalham no Exame. Especula-se que seja em torno de R$ 110 a R$ 150 por dia de trabalho.

Veja também

UEM suspende Vestibular de Inverno 2020
A medida foi tomada respeitando as recomendações de isolamento domiciliar da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde.

Secretários da educação pedem adiamento do Enem 2020
UNE e Ubes também acreditam que provas do maior exame educacional devem ser alteradas

Enem Digital: aplicação do novo formato será ampliado para atender as 27 unidades da Federação
A medida está entre as demandas recebidas durante o dia de ontem pelo Inep, e tem como objetivo levar o Enem Digital, para todo o Brasil.

Cederj está com inscrições abertas para o Vestibular 2020/2
Os interessados podem se inscrever até o dia 14 de maio. A taxa de inscrição é de R$ 69 e poderá ser paga até o dia 15 seguinte.  

UERJ suspende calendário do 1º Exame de Qualificação (EQ) do Vestibular Estadual 2021
A UERJ comunicou ainda que um novo calendário será divulgado e, por isso, as datas anunciadas anteriormente deverão ser desconsideradas.

Edital do Enem 2020 é divulgado
Solicitações de isenção de taxa terão início no dia 06 de abril.

UECE terá novo prazo de inscrição do Vestibular 2020/2
Também será divulgado um novo cronograma de provas, já que o calendário atual foi suspenso devido da pandemia da covid-19.

Uesb suspende chamadas do Vestibular e do SiSU 2020 devido a pandemia do coronavírus
Um novo cronograma será definido pela Uesb posteriormente. A Universidade é mais uma dentre tantas outras que decidiu suspender as atividades por conta do isolamento social

UEPG encerra primeiro prazo de inscrições do PSS 2020 hoje (30)
Quem não fizer o cadastro até esta segunda-feira, poderá fazê-lo entre os dias 1º e 30 de agosto. 

Coronavírus: veja como estudar em casa durante o isolamento devido ao Covid-19
O Super Vestibular reuniu dicas de como aproveitar o tempo em casa se dedicando aos estudos, mesmo sem estar indo a escola.

Prazo para se inscrever no Vestibular 2020/2 da UECE encerra hoje (27)
Devido a paralisação das atividades por conta da pandemia do coronavírus (Covid-19), algumas atividades presenciais referentes ao Vestibular foram suspensas.

Udesc suspende cronograma do Vestibular de Inverno 2020 devido a pandemia do Coronavírus
A Universidade também adiou o prazo de isenção para doadores de sangue e medula, que seria finalizado nesta sexta-feira, dia 27.