Logo Super Vestibular

A Cidade Medieval no Enem

Neste texto são oferecidas indicações de abordagens possíveis sobre o tema “a Cidade Medieval” no Enem.

Publicado por Cláudio Fernandes
As fortalezas das cidades medievais possuíam, inicialmente, um caráter essencialmente defensivo
As fortalezas das cidades medievais possuíam, inicialmente, um caráter essencialmente defensivo

Olá pessoal, tudo certo?

No texto de hoje trazemos o tema da cidade medieval e as possíveis abordagens que o Enem pode fazer em torno de tal tema. Analisamos também uma questão do Enem de 2011, que será apresentada logo mais, para que vocês compreendam como os temas da Idade Média são abordados.

Durante o período medieval, sobretudo a partir do século XI, ou seja, o período conhecido como Baixa Idade Média, a cidade teve um papel fundamental. Isso se deu por vários motivos; dentre eles, podemos mencionar a questão da defesa contra invasores, o renascimento comercial e a proliferação das corporações de ofícios e das profissões liberais. 

O renascimento comercial se deu principalmente por conta da recuperação das rotas comerciais do Mar Mediterrâneo, que durante muito tempo esteve sobre o domínio muçulmano, por parte de cidade europeias como Gênova e Veneza. Esse restabelecimento das rotas exigiu uma boa capacidade de recepção dos produtos que chegava de várias partes do mundo, sobretudo de reinos africanos e do Oriente. Os chamados burgos passaram a se desenvolver muito por conta da intensificação da atividade comercial, desencadeando também um renascimento urbano na Europa. Esse tema específico, relacionado à cidade medieval, pode ser objeto de abordagem no Enem por comportar uma série de problemáticas, tais como: a relação cultural entre vários povos através da atividade comercial, a figura do mercador navegante, os produtos comercializados, dentre outros. 

O tema das profissões liberais e das corporações de ofício, quando relacionado à cidade medieval, normalmente enfoca as circunstâncias da transmissão do conhecimento de uma arte, como a carpintaria, de mestre para discípulo, e a relação entre cidade e campo, haja vista que as ferramentas que eram fabricadas por artesãos nas cidades passavam a ser utilizadas pelos camponeses que, por sua vez, levavam os produtos agrícolas para aos centros urbanos. Essas noções de corporação, trabalhadores rurais e urbanos, transmissão de conhecimento, educação etc, podem ser também objetos de abordagem do Enem, já que exploram problemáticas relativas ao trabalho e à vida na cidade e no campo. Outro aspecto que pode ser abordado é o das Feiras Medievais.

O exemplo das edificações das cidades medievais também figura entre os mais importantes aspectos da cidade medieval. As fortalezas, o Castelo medieval, e a estrutura de defesa dos burgos, com suas enormes e extensas muralharas, podem ser amplamente abordados nas provas do Enem. Na prova do Enem de 2011, do caderno 1 de cor azul, a questão de número 35 trouxe uma abordagem exatamente sobre as muralharas da cidade medieval. Observe-a abaixo – a resposta correta está destacada na cor verde:

A questão acima, do Enem de 2011, abordou o tema da cidade medieval tomando como ponto de partida a função da muralha

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A questão acima, do Enem de 2011, abordou o tema da cidade medieval tomando como ponto de partida a função da muralha

 

Vocês percebem que a questão está estruturada a partir de uma citação de Georges Duby, um dos grandes historiadores do período medieval. Logo após a citação, a questão exige que o candidato assinale a alternativa que corresponda à mudança da função das muralhas no período medieval, no que se refere à passagem da função estritamente defensiva para a função pórtica, relacionada a pontos de passagem. Pois bem, antes de passarmos à resolução da questão, destacamos aqui a opinião do historiador francês Jacques Le Goff, outro grande estudioso do período medieval, tal como Georges Duby, a respeito da muralha medieval. 

Le Goff, no livro “O apogeu da cidade medieval”, acentua a importância da muralha, concebendo-a como o tipo de edificação que “estabeleceu a base material da identidade urbana”, bem como “uma dialética (diferença entre partes) do interior e do exterior que dominou a atividade urbana”. Essa concepção é absolutamente fundamental para entender a cidade medieval e perceber como ela se coloca como modelo urbano intermediário entre a cidade-estado antiga e os grandes centros urbanos da civilização moderna industrializada. 

Pois bem, no texto apresentado na questão do Enem, Duby fala que a muralha e as portas que limitavam a cidade medieval criaram o habitus (prática introjetada na sociedade) da mentalidade medieval de se “fechar”, motivado sobretudo pelo “sentimento de insegurança”, presente tanto no meio rural como no meio urbano. Percebemos, ao ler o texto da questão, que Duby está tratando estritamente da muralha no âmbito da primeira fase da Idade Média, visto que acentua a dimensão da função de segurança. Mas, como dissemos nos primeiros parágrafos deste texto, um dos aspectos que se articulam com o tema da cidade medieval é o do renascimento comercial e urbano, fenômeno que se relaciona intimamente com as rotas comerciais do Mar Mediterrâneo. A questão, ao exigir que se assinale a alternativa que indique a mudança da função de segurança para a função  pórtica, claramente está remetendo à ideia de comércio. 
Se lermos atentamente a questão e se tivermos informações básicas a respeito deste período, como a que apresentamos ao longo do texto, não fica difícil apontar para a alternativa A, “o crescimento das atividades comerciais e urbanas”, que é a correta. As outras alternativas, apesar de se relacionarem (exceto a letra C) com o contexto da Idade Média, não geram ambiguidades se o texto for bem lido.

Por isso uma leitura atenta e uma boa compreensão dos textos são decisivas para se resolver as questões de Ciências Humanas do Enem, em especial as de História. Fique atento a isso!

Bons estudos!!

Veja também

Resultado do SiSU 2020/1 já pode ser conferido
Convocados deverão comparecer às universidades entre os dias 29 de janeiro e 04 fevereiro

STJ autoriza divulgação do resultado do SiSU 2020/1
Decisão atende recurso protocolado no tribunal pela AGU para garantir a manutenção do calendário de divulgação da lista de aprovados.

Ufopa adia resultado do Vestibular 2020 por causa de suspensão do SiSU 2020/1
Conforme cronograma, lista de aprovados em processo seletivo que usa notas do Enem deveria sair hoje (28)

UFSC divulga 2ª chamada e 1º remanejamento do Vestibular Unificado 2020
Os selecionados deverão se atentar as etapas de matrículas, já que a primeira delas é a matrícula virtual e destinada a todas as modalidades de aprovados.

Famema 2020: confira o resultado do vestibular
Agora, os selecionados deverão realizar matrículas no período de 05 a 07 de fevereiro, na sede da Famema.

Inscrições do ProUni 2020/1 estão suspensas
Apesar das inscrições do ProUni 2020/1 estarem suspensas, já está disponível a consulta as bolsas.

UFMS libera notas da 1ª e 2ª etapas do Passe 2019
Instituição também divulgou as informações sobre matrícula dos aprovados no Passe e Vestibular 2020.

IFRO solta classificação preliminar do Vestibular 2020
Previsão é que o resultado final seja divulgado na próxima sexta-feira (31). Foram oferecidas quase mil vagas.

Resultados de vestibulares são adiados após suspensão do SiSU 2020/1
Entre as instituições estão as federais de São Paulo (Unifesp) e do Pará (UFPA). UFSC suspendeu cronograma de matrículas do SiSU.

UFRR disponibiliza classificação preliminar do Vestibular 2020
Aqueles que queiram apresentar recursos contra a classificação preliminar deverão fazer isso ainda hoje (27). O resultado dos recursos será disponibilizado no dia 28 seguinte .

Unespar divulga 2ª chamada do Vestibular 2020
De acordo com o edital de matrículas, os selecionados deverão se matricular no dia 29 de janeiro. Uma nova chamada é esperada para o dia 31 deste mesmo mês. 

Pré-vestibular gratuito em Brasília está com inscrições abertas para turmas de 2020
Podem participar do preparatório, que tem foco nas provas do Enem, candidatos que estão matriculados no último ano do ensino médio em escola pública ou que já concluíram essa etapa também na rede pública.