Home Orientação Vocacional Cinco filmes para entender a Medicina

Cinco filmes para entender a Medicina

A profissão de médico é inspiração constante para o Cinema

Publicado por Lorraine Vilela em Orientação Vocacional

Compartilhe

O Cinema é a oportunidade que muitos jovens têm de ter contato com diversas profissões. Atores dão vida aos personagens fictícios ou baseados na realidade, retratando o cotidiano de diferentes profissionais. 

Com a Medicina não é diferente. Fonte de inspiração para diversos filmes e documentários, o médico é figura presente nas telonas. 

Se o seu sonho é ser médico(a), confira abaixo cinco filmes que envolvem Medicina e conheça mais sobre essa profissão! 

Mãos Talentosas (Gifted Hands


Ben Carson revolucionou os métodos de separação de gêmeos siameses. Crédito: divulgação

Baseado na história real do neurocirurgião Ben Carson (Cuba Gooding Jr.), o filme mostra a trajetória do menino pobre com baixo rendimento escolar que, com apoio de sua mãe, consegue torna-se um bom aluno e entrar para a faculdade de Medicina. Ele se consagrou como um dos principais médicos da neurocirurgia ao separar gêmeas siamesas ligadas pela cabeça, procedimento extremamente arriscado para a década de 1980. 

Porque Assistir: a neurocirurgia é uma área que requer muito estudo e dedicação dentro da Medicina. O filme serve como motivador para quem tem essa carreira como um sonho. Além de avançar em técnicas na separação de gêmeos siameses, Ben Carson foi o pioneiro nas cirurgias intrauterinas. 

O Escafandro e a Borboleta (Le Scaphandre et le Papillon)


A história de Jean Dominique Bauby é um exemplo de perseverança diante da falta de mobilidade./Créditos: reprodução

Produzido a partir do livro de Jean-Dominique Bauby, o filme retrata sua própria história. O então editor da revista Elle, interpretado por Mathieu Amalric, tem um acidente vascular cerebral, acordando após 20 dias. Ao retornar do coma, ele percebe que o único movimento que lhe resta é do olho esquerdo, decorrente da chamada “Síndrome do Encarceramento”. 

Com o auxílio de uma fonoaudióloga, Bauby aprende a se comunicar piscando o olho esquerdo. Como a parte cognitiva não foi afetada pela doença, ele segue sua vida com suas memórias e escreve um livro utilizando o método adotado, contando sua experiência. 

Porque Assistir: a Federação Médica Brasileira (FMB) recomenda esse filme aos futuros médicos para conhecer mais sobre a neurofisiologia e sobre a Síndrome do Encarceramento. Os futuros médicos podem entender como lidar com as limitações físicas dos pacientes e se informar um pouco sobre a doença. 

Quase Deuses (Something the Lord Made): 


Quase Deuses traz a ética médica como um dos temas abordados. Crédito: reprodução

Baseado em fatos reais, o filme aborda os conflitos raciais e a ética na Medicina. Vivien Tomas (Mos Def) é um marceneiro que perde o emprego e suas economias, as quais juntava para pagar a faculdade de Medicina, na Grande Depressão de 1930, nos Estados Unidos. Com isso, ele arruma um emprego como faxineiro em um hospital, no qual trabalha o médico pesquisador Alfred Blalock (Alan Rickman). 

Com a convivência entre médico e faxineiro, Alfred percebe o potencial e o interesse de Vivien pel a Medicina. Quando se torna cirurgião-chefe em uma universidade, realizando pesquisas para cirurgias cardíacas, os dois se unem na busca de novas técnicas. Como o ex-marceneiro não tem diploma, conflitos surgem na trajetória. 

Porque Assistir: o filme aborda uma técnica que mudou o ramo das cirurgias cardíacas, além de mostrar a importância da dedicação no exercício da profissão. O longa levanta também questões éticas sobre a Medicina e o valor da vida humana. 

Mar Adentro (The Sea Inside)


Mar Adentro aborda caso de homem que ficou tetraplégico há 28 anos e quer a eutanásia/Créditos: reprodução

O filme conta a história de Ramón Sampedro (Javier Bardem), um homem que sofreu um acidente quando jovem e passou os últimos 28 anos preso em uma cama, já que ficou tetraplégico. Insatisfeito com o rumo de sua vida, ele decide recorrer à Justiça para ter direito à eutanásia, decisão que provoca problemas inclusive com sua família. 

Porque assistir: A eutanásia é um tema bastante discutido, inclusive no meio médico. Ilegal na maior parte dos países, levanta um debate sobre o livre arbítrio da pessoa que mesmo estando lúcida prefere colocar fim na sua vida devido alguma doença. Entender como é a vida de uma pessoa ativa que fica tetraplégica e suas razões para escolher entre vida ou morte é importante para quem pode lidar com pacientes na mesma situação, quando se tornar um profissional da saúde. 

Para Sempre Alice (Still Alice)


Julianne Moore dá vida a uma portadora de uma forma rara de Alzheimer em Para Sempre Alice./Crédito: reprodução

Julianne Moore vive Alice, uma professora de Linguística que desenvolve Alzheimer aos 50 anos, considerada uma idade precoce para a doença. O longa retrata uma forma rara da doença em que há uma mutação genética e hereditária. 

Porque assistir: O Alzheimer é uma doença já conhecida da sociedade, mas em sua forma senil (em pessoas mais velhas). O caso mostrado no filme é raro e atinge menos que 5% da população se comparada ao surgimento em outras idades, já que Alice tem 50 anos. O filme que deu o Oscar de melhor atriz a Julianne Moore é uma boa opção para quem quer entender mais sobre os sinais e consequências da doença.

VEJA TAMBÉM

1 2