Home Notícias Jovem sai de cidade pequena para passar em 5 vestibulares de Medicina

Jovem sai de cidade pequena para passar em 5 vestibulares de Medicina

Futuro médico dá dicas importantes para aqueles que querem estudar a carreira

Publicado por Silvia Tancredi em 16 de Março de 2017 às 15:36 em Notícias

Compartilhe

Há dois anos, em busca de realizar o sonho de tornar-se médico, Rodrigo Gennari, de 19 anos, decidiu mudar-se do pequeno município de Casa Branca, no interior de São Paulo, para cursar um pré-vestibular que o ajudasse a trilhar essa caminhada. O sonho concretizou-se: ele vai cursar Medicina em uma das maiores instituições do país, a Universidade de São Paulo (USP).

E por que teve interesse na carreira? O futuro médico explica: “escolhi esse curso porque abrange a área biológica, pela qual sempre fui apaixonado, e por oferecer o contato com pessoas que nem sempre estão vivendo o seu melhor momento, carentes de ajuda, atenção e tratamento”. 

Rodrigo nasceu no município de Casa Branca, situado a pouco mais de 200 km da capital paulista e com apenas 28 mil habitantes. Lá concluiu os estudos em 2014, em um colégio particular, mas não foi aprovado em nenhum vestibular de Medicina.

Foi então que decidiu mudar-se para uma cidade com cursinhos melhores. “Tinha a necessidade de frequentar um cursinho pré-vestibular de alto nível, tanto em relação à estrutura da escola como quanto a professores experientes”, relata Rodrigo. Rodrigo escolheu Campinas pela possibilidade de morar com um tio.

A luta

No cursinho de Campinas ele assistia às aulas todas as manhãs e algumas tardes, quando tinha específicas para Medicina. “Procurava aproveitar ao máximo as aulas, pois seria meio caminho para que eu entendesse cada matéria”, relembra.

Rodrigo conta que, em casa, procurava trabalhar o que tinha sido visto no dia fazendo resumos e exercícios pra assimilar o conteúdo de uma maneira que fizesse sentido para ele. Nos fins de semana, tirava tempo livre. “Geralmente, voltava à minha cidade e praticava atividades que aliviassem o stress: pedalar, tocar violão e ir à missa”, relata.

Os dois anos de cursinho foram de muito esforço, algumas frustrações, porém, na opinião do futuro médico, também de muitas conquistas pessoais a cada evolução no aprendizado. Segundo o jovem, apesar de ser em uma circunstância de pressão e cobrança, o saldo do cursinho foi positivo. “Sem essa experiência talvez não aproveitasse o que a faculdade oferece como aproveitarei”. 

A conquista

O resultado do vestibular 2017 da USP, organizado pela Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest), saiu no dia 2 de fevereiro deste ano. Ele passou para Medicina na unidade de Ribeirão Preto. Rodrigo explica que escolheu essa instituição por ser aquela para a qual mais se dedicou em 2016. “Também acredito que Ribeirão Preto é uma cidade mais interiorana e conta com um campus maravilhoso e muito estruturado”, completa.

Além de ter passado na Fuvest, Rodrigo foi selecionado para a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade Estadual Paulista (Unesp) e Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp), para a qual passou em primeiro lugar. 

Ele passou ainda na Universidade do Triângulo Mineiro (UFTM), cujo processo seletivo é pelo Sistema de Seleção Unificada (SiSU), que usa as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

O futuro 

As aulas na faculdade de Medicina da USP devem começar em breve, mas as expectativas de Rodrigo são altas. “A matrícula no campus só aumentou minha ansiedade para aproveitar tudo o que a universidade vai me oferecer”, comenta. 

“Ainda não sei qual especialidade da Medicina vou escolher, porém já imagino que vou 'ralar' tanto como no cursinho ou até mais, mas será fazendo aquilo que gosto”, finaliza. 

Dicas

Também quer passar para o curso de Medicina? Então anote as dicas do Rodrigo:

- Nunca exijam de si mesmos a perfeição. Quem é aprovado também tem vários pontos fracos; ninguém encara uma prova 100% preparado;

- Estudem apenas preocupados com o seu aprendizado, sem dar muita atenção aos questionamentos, tais como 'Será que tenho capacidade?';

- A autoconfiança nos estudos melhora com o tempo;

- Chega um momento em que se começa a acertar mais do que errar. 

- Rodrigo manda ainda um recado a todos os vestibulandos do curso de Medicina:

“Desejo toda energia e foco para os que estão prestando vestibulares concorridos! Estudem não só os conteúdos mas o formato das provas que desejam. Boa sorte!”

VEJA TAMBÉM

1 2