Home Notícias Confira 3 dicas para as provas da 2ª fase do Vestibular 2018 da Unicamp

Confira 3 dicas para as provas da 2ª fase do Vestibular 2018 da Unicamp

Provas da 2ª fase serão aplicadas nos próximos dias 14, 15 e 16 de janeiro, para mais de 15 mil convocados

Publicado por Érica Caetano em 11 de Janeiro de 2018 às 07:35 em Notícias

Compartilhe

As provas da 2ª fase do Vestibular 2018 da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) começam neste domingo, 14 de janeiro, e seguem nos dias 15 e 16 seguintes, para os 15.461 candidatos convocados.

Acesse aqui os locais de prova da 2ª fase!

No domingo (14), a prova será formada por seis questões de Língua Portuguesa e Literatura, além dos dois textos da prova de Redação.

No segundo dia, 15, ocorrem as provas de Matemática, História e Geografia, com seis questões cada. No terceiro e último dia, 16, também com seis questões para cada prova, são cobradas as disciplinas de Biologia, Química e Física.

Pensando nisso, o Super Vestibular separou 3 dicas dadas pelo diretor do curso Pré-vestibular Anglo Tamandaré Campinas, Marcelo Pavani, para esta etapa das provas. Confira!

1- Atenção ao comando da questão

Marcelo ressalta que agora, na segunda fase, as questões por serem dissertativas, demandam a habilidade de explicar fenômenos, correlacionar conceitos e desenvolver raciocínios em respostas curtas, elaboradas com concisão e precisão. 

Geralmente quando a questão vem com um verbo no imperativo, o comando da questão indica com precisão o que se espera do candidato em uma resposta. 

Atente-se aos comandos das questões dissertativas

Quando a questão, por exemplo, pede que o candidato cite dois exemplos, basta que ele enumere os exemplos que ele achar adequados para a resposta.

Caso ela peça, explicitamente, que o vestibulando explique, ou justifique a sua escolha, só então ele deve fazer considerações mais elaboradas sobre ela. 

São exemplos de comandos de questão para os quais o aluno deve estar atento: Cite, explique, justifique, enumere, descreva, correlacione, etc. 

2- Controle o tempo de cada questão

De acordo com Pavani, é possível controlar o tempo, inclusive para a redação. No segundo e terceiro dias, o aluno tem cerca de 13 minutos para cada questão. 

Já no primeiro dia, com a redação, o aluno deve imaginar que, uma vez que cada um dos dois textos da prova de redação corresponde a 24 pontos, e as seis questões de Língua e Literatura também, no conjunto, correspondem a 24 pontos, deve ser dedicado no máximo dois terços das quatro horas de prova para a redação. 

O candidato deve saber controlar o tempo para cada questão

Esse tempo deve ser considerado o tempo máximo, e deve compreender a elaboração do rascunho de ambos os textos e a sua transcrição no espaço definitivo. 

Vale reforçar que não há tempo adicional para transcrição de respostas e textos, além de que não são corrigidas respostas fora do espaço destinado às respostas definitivas. 

 3- Identifique adequadamente o que propõe a redação 

O diretor do Pré-vestibular reforça que o candidato deve sempre se lembrar que a prova de redação, além de, obviamente, cobrar a habilidade de produção de textos, também é uma prova de leitura. 

Isso significa que, para produzir um texto adequado, é preciso que, em primeiro lugar o aluno identifique a situação de produção de texto que a prova propõe. 

A prova deve trazer uma proposta de interlocução e apontar qual o papel do aluno nessa interlocução. Além disso, a banca da Unicamp explicita, claramente, através de comandos como: discuta, exemplifique, explique, apresente, os elementos discursivos que devem estar presentes no texto.

Identifique corretamente a proposta do tema da redação 

Como mais um elemento dessa situação de produção, a Unicamp tem cobrado a composição de redações de gêneros textuais diversos.

Espera-se que esses gêneros, como artigo de opinião, carta do leitor, texto para um site, mensagem de e-mail, resumo, discurso, etc, sejam familiares aos candidatos.

“Dessa forma, o aluno deve esperar uma prova de redação que busca selecionar candidatos que tenham capacidade de se expressar com propriedade frente a uma situação de interlocução bem marcada. Essa capacidade depende das habilidades mais fundamentais para o aluno de uma universidade como a Unicamp: fluência em leitura e domínio da escrita”, finaliza Pavani.

VEJA TAMBÉM

1 2