Intercâmbio em casa

No Intercâmbio em casa, benefícios diretos são concedidos tanto para os anfitriões quanto para o intercambista.

Publicado por Wanja Borges em Tipos de Intercâmbio

Compartilhe

No intercâmbio em casa, estudante não é tratado como um turista, mas como um membro da família
No intercâmbio em casa, estudante não é tratado como um turista, mas como um membro da família

Já pensou em conhecer um pouco mais sobre um país, cultura ou língua estrangeira sem sair de casa? Atualmente isso é possível apenas com interesse e disposição. Em vez de viajar para o exterior, várias famílias vêm optando pela alternativa de acomodar estudantes estrangeiros em seus lares, em programas de intercâmbio local. 

Oferecido por agências privadas, instituições sociais e universidades, o programa tem duração de quatro semanas, mas pode se estender até um ano. As famílias são voluntárias, por isso, não recebem compensação financeira. Contudo, em algumas empresas, é necessário pagar uma taxa administrativa para ter acesso aos perfis dos candidatos. 

Benefícios diretos são concedidos tanto para os anfitriões quanto para o intercambista, como troca de experiências, interação cultural, prática de outro idioma, dentre outros. Esse tipo de programa é voltado, prioritariamente, para pessoas entre 15 e 30 anos que buscam complementar o ensino médio, estagiar ou atuar em voluntariado. 

Além disso, também existem programas de tutoria. Neste caso, jovens estrangeiros atuam como professores para brasileiros a fim de auxiliá-los a aprimorar o conhecimento sobre o idioma. A carga horária de estudo é definida previamente, entretanto, o ensino é pautado, prioritariamente, na conversação através de situações cotidianas. 

Para receber um intercambista, a família precisa oferecer acomodação, seja em quarto próprio ou dividido com jovens do mesmo sexo, e custear a alimentação básica do estrangeiro. Além disso, é importante que os anfitriões estejam dispostos a compartilhar experiências da cultura local, reservando parte do seu tempo para o convívio social e familiar com o mais novo integrante.  

O diferencial desse tipo de intercâmbio é que o estudante não é tratado como um turista, mas como um membro da família. A maioria das pessoas que já participou do programa assume o forte vínculo de carinho e amizade estabelecido durante a estadia do estrangeiro e cultivado após seu retorno ao país de origem. Confira como ser um anfitrião: 

 

Requisitos
•    Ser maior que 18 anos;
•    Ter conhecimento básico sobre o idioma; 
•    Oferecer alimentação e acomodação em casa; 
•    Residir em local de fácil acesso;
•    Ter tempo disponível para apresentar a cultura local ao estrangeiro.

 

Custos
•    Estudante: acomodação + alimentação 
•    Tutoria: taxa de R$ 700 a R$ 2 mil + acomodação + alimentação

 

Passo a passo
•    Entrar em um consenso na família sobre a possibilidade de receber um intercambista em casa;
•    Procurar uma instituição que ofereça esse tipo de intercâmbio;
•    Cadastrar-se no programa;
•    Detalhar hábitos da família e que tipo de jovem gostaria de receber;
•    Receber visita de uma psicóloga para conferência das informações; 
•    Escolher o intercambista através do dossiê fornecido pela empresa, geralmente com fotos, currículo e cartas de recomendação.

VEJA TAMBÉM

1 2