Terapia Ocupacional

Terapia Ocupacional é voltada para grupos marginalizados e estigmatizados; trabalho conta com técnicas físicas, lúdicas, artísticas e pedagógicas.

Publicado por Wanja Borges em Ciências Biológicas e da Saúde

Compartilhe

Terapia Ocupacional tem contribuído para a inclusão de pessoas com necessidades especiais na sociedade
Terapia Ocupacional tem contribuído para a inclusão de pessoas com necessidades especiais na sociedade

Envolver portadores de incapacidades em atividades que promovam o restabelecimento ou desenvolvimento de habilidades a fim de contribuir para sua integração na sociedade. É este o objetivo principal da Terapia Ocupacional, profissão utilizada muitas vezes como instrumento em ações de Saúde Mental. Voltado para o desenvolvimento da autonomia e autoconfiança de minorias, o terapeuta ocupacional trabalha com pacientes com problemas físicos, mentais e emocionais de todas as idades. 

Com marca social forte, o terapeuta ocupacional utiliza recursos sonoros, visuais, artesanais, corporais e terapêuticos a fim de manter, promover e/ou recuperar a saúde do paciente. Casos como deficiência mental, derrame cerebral, distúrbio de aprendizagem, hanseníase, fraturas, queimaduras, dentre vários outros, são tratados com a Terapia Ocupacional, que vem ganhando reforço principalmente com a inclusão de alunos com necessidades especiais na sociedade. 

Perfil

Para atuar no segmento de terapia ocupacional, o profissional precisa, primeiramente, interessar-se pela área de psicologia humana. Responsabilidade, paciência, sensibilidade, ética, respeito, dinamismo, simpatia, solidariedade, compromisso e dedicação também são algumas das características que contribuem diretamente para o bom exercício da profissão. É aconselhável, ainda, que o profissional seja observador e tenha olhar humanístico.

Curso

O curso de Terapia Ocupacional é composto, basicamente, por matérias da área da saúde e de Ciências Humanas e Sociais. Nos primeiros períodos, os alunos contam com aulas sobre biologia, anatomia, psicologia, bioquímica, fisiologia, sociologia, estatística, dentre outros. Do terceiro semestre em diante, as instituições de ensino já começam a oferecer disciplinas específicas, como fundamentos da expressão, atividade lúdica, desenvolvimento infantil, ortopedia, neurologia, psicologia social, recursos terapêuticos etc. Diferentes especialidades da Terapia Ocupacional também compõem a grade curricular do curso. 

Duração média 
Bacharelado – 8 semestres

Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho para terapeutas ocupacionais é amplo, entretanto, a profissão ainda é pouco conhecida pela sociedade. O setor público é o que concentra maior número de oportunidades, em Centros de Atenção Psicossocial (CAPSs), Centros de Referência de Saúde do Trabalhador (CERESTs) e em Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASFs). Contudo, com o aumento do número de sessões de Terapia Ocupacional a serem cobertas por planos de saúde, a demanda pelo profissional no setor privado também vem crescendo. Ainda assim, grande parte dos terapeutas opta pela prestação de serviço. 

Formas de Atuação

O profissional graduado em Terapia Ocupacional pode atuar em instituições públicas, privadas, beneficentes ou filantrópicas. Dentre elas, hospitais, clínicas, consultórios, instituições penais, centros de reabilitação, unidades básicas de saúde etc. Além disso, o terapeuta ocupacional pode ministrar aulas no ensino superior, caso tenha concluído também uma pós-graduação, e/ou atuar como autônomo em clínicas e prestações de serviços. 

Campos de Atuação 

Atendimento
(estímulo do desenvolvimento de recém-nascidos até adultos, reintegração de desempregados no mercado de trabalho etc.)

Educação
(desenvolvimento de crianças com problemas psicomotores ou de aprendizagem, inclusão de crianças com deficiências nas escolas etc.) 

Gerontologia
(reabilitação e reintegração social de idosos etc.) 

Psiquiatria e saúde mental
(inclusão social e ocupacional de portadores de distúrbios psíquicos etc.) 

Reabilitação funcional e profissional
(restabelecimento de vítimas de acidentes, assistência a portadores de deficiência física, promoção da saúde do trabalhador etc.) 

Reintegração social
(reintegração de dependentes químicos, menores infratores, carentes etc.) 

Docência e pesquisa
(ensino em universidade, orientação de projetos de pesquisa etc.) 

Regulamentação da profissão 
Decreto Lei nº 938, de 13 de outubro de 1969

Quantidade média de profissionais
Quase 15 mil profissionais no Brasil em 2012

Remuneração média
R$ 2 mil a R$ 4 mil para profissionais recém-formados

Exigências para exercício da profissão
Diploma de conclusão de curso de bacharelado em Terapia Ocupacional;
Habilitação legal - Registro Profissional no Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

A opinião de quem entende
O Super Vestibular quer saber como é a sua experiência como terapeuta ocupacional ou estudante da área. Conte-nos!

VEJA TAMBÉM

1 2