Jornalismo

Jornalismo não se resume somente na produção de textos; profissão é mais ampla do que se imagina.

Publicado por Wanja Borges em Ciências Humanas

Compartilhe

Profissionais graduados em Jornalismo atuam prioritariamente em rádio, televisão, jornal, revista, internet, empresas e editoras
Profissionais graduados em Jornalismo atuam prioritariamente em rádio, televisão, jornal, revista, internet, empresas e editoras

Reconhecido por sua rotina agitada e empolgante, o jornalismo tem sido adotado como profissão para muitas pessoas que desejam interferir e colaborar para a mudança da sociedade. Investigar fatos de interesse público, nas mais variadas áreas, e transmitir à sociedade uma informação objetiva, verídica e imparcial, princípios tidos como mito para muitos profissionais, é uma das competências do jornalista. 

Mais do que redigir texto, também é de sua responsabilidade organizar pautas, editar matérias, planejar e executar coberturas jornalísticas, checar informações, realizar entrevistas etc. Tudo isso levando em conta técnicas de apuração de informações e critérios para realização de entrevistas e escolha de fontes relevantes. Com a decisão do Supremo Tribunal Federal pelo fim da obrigatoriedade do diploma, o exercício da profissão tornou-se mais polêmico e menos glamouroso. Contudo, a graduação, assim como os profissionais graduados, continua tendo o seu valor. 

 

Público-alvo
Para atuar na área de jornalismo, o profissional precisa, acima de tudo, conhecer bem língua portuguesa e informática, principalmente redes sociais, gostar de ler, ter habilidade para escrever e domínio de alguma língua estrangeira. Além disso, características como criatividade, curiosidade, objetividade, ética, paciência, flexibilidade, dinamismo, raciocínio rápido, ousadia, sociabilidade, clareza e concisão são primordiais para o bom exercício da profissão. O jornalista precisa também se manter atualizado sobre diferentes assuntos, como economia, política, educação etc. 

 

O curso
O curso de Jornalismo conta com algumas disciplinas básicas como língua portuguesa, cidadania e legislação, história do jornalismo, teoria da comunicação, teoria do jornalismo, técnicas de comunicação, sociologia, antropologia, ética, teoria política, dentre outras. Dentre as matérias específicas, destacam-se produção, redação e edição jornalística, assessoria de comunicação, webjornalismo, planejamento gráfico etc. Aulas práticas também integram a grade curricular do curso, a exemplo de fotojornalismo, radiojornalismo e telejornalismo. Em algumas instituições de ensino superior, é exigido ainda que o graduando passe por uma prova de proficiência em língua estrangeira. 

 

Duração média 
Bacharelado – 8 semestres

 

Mercado de Trabalho
O mercado de trabalho para jornalistas tende a ser competitivo, já que a oferta de trabalho não acompanha o ritmo de profissionais graduados. Entretanto, com o advento da tecnologia, várias oportunidades estão sendo oferecidas para estes profissionais, principalmente em mídias sociais. Normalmente, a maioria delas está concentrada no segmento de comunicação corporativa ou empresarial. Mesmo com a não obrigatoriedade do diploma, grande parte das empresas prefere bacharéis em Jornalismo para o exercício da profissão. Profissionais multidisciplinares ganham destaque no mercado.

 

Formas de Atuação
O profissional graduado em Jornalismo pode atuar como pauteiro, repórter, chefe de reportagem, editor, redator, revisor, apresentador, produtor, assessor de imprensa e/ou divulgador. Dentre os principais locais de atuação, destacam-se veículos de comunicação (rádio, televisão, jornal, revista e internet), empresas e editoras. Além disso, grande parte dos profissionais atua como prestador de serviço ou freelancer. 

 

Campos de Atuação 
Assessoria de imprensa
(promoção de contato entre imprensa e empresas, clientes, entidades etc.) 

Comunicação digital multimídia
(criação, montagem, implantação e manutenção de websites, intranets e extranets, redação e edição de boletins e revistas eletrônicas, administração de conteúdos na internet etc.) 

Comunicação empresarial
(promoção de contato entre determinada organização com a imprensa e outros públicos-alvo, como funcionários, fornecedores, clientes, governo, entidades etc.) 

Consultoria
(prestação de serviços de comunicação, auxílio a entidades e empresários na busca de informações de mercado ou mídia etc.) 

Reportagem
(pesquisa de informações sobre um determinado assunto, divulgação para todos os meios de comunicação etc.) 

Edição
(definição da abordagem e tamanho de determinada matéria, escolha de reportagens que serão veiculadas, seleção de fotos e ilustrações etc.) 

Fotojornalismo
(registro de cenas reais, pessoas e acontecimentos para reportagens em jornais, revistas, internet etc.)

Pauta
(orientação na escolha de assuntos que o veículo vai cobrir, designação de repórteres para a cobertura etc.) 

Reportagem
(coleta de informações e redação de textos para divulgação em rádio, televisão, jornais, revistas, internet etc.)

 

Regulamentação da profissão 
Decreto nº 83.284, de 13 de março de 1979

 

Quantidade média de profissionais
Cerca de 80 mil jornalistas no Brasil 

 

Remuneração média
R$ 1 mil a R$ 2,5 mil para jornalistas recém-formados 

 

Exigências para exercício da profissão
Não existe exigência de diploma de conclusão de curso, entretanto, empresas têm preferência por profissionais com bacharelado em Jornalismo. Também não há um conselho a nível federal, mas os interessados podem obter o Registro Profissional de Publicitário nas Delegacias Regionais do Trabalho (DRT) do Ministério do Trabalho e Emprego. 

 

A opinião de quem entende
O Super Vestibular quer saber como é a sua experiência como jornalista ou estudante da área. Conte-nos!

 

VEJA TAMBÉM

1 2