Home Guia de Profissões Engenharia Engenharia de Alimentos

Engenharia de Alimentos

Um dos cursos mais recentes do segmento no Brasil, Engenharia de Alimentos tem espaço garantido principalmente pela necessidade de alimentação.

Publicado por Bruna Carneiro em Engenharia

Compartilhe

Profissional graduado em Engenharia de Alimentos pode atuar em indústrias com máquinas e produtos alimentícios
Profissional graduado em Engenharia de Alimentos pode atuar em indústrias com máquinas e produtos alimentícios

A graduação em Engenharia de alimentos envolve técnicas de produção, conservação e armazenamento dos alimentos industrializados. O profissional da área desenvolve sua função na indústria de alimentos através do controle das matérias-primas, processamento e controle de qualidade; desenvolvendo e elaborando projetos de instalações e processos de produção. 

O engenheiro de alimentos trabalha no estudo e na pesquisa das reservas de agricultura, da pecuária e da pesca; acompanha o processo de produção dos produtos como leite, legumes, frutas, cereais, verduras, carnes, etc. Podendo também projetar as máquinas e tecnologias relacionadas a esses processos. Para isso ele combina conhecimentos de diversas áreas, como física química, biologia e matemática. 

Público-alvo
Para ingressar no curso de Engenharia de Alimentos é necessário ter um grande interesse em assuntos sobre economia e administração e ter bastante domínio em disciplinas como matemática, química, física, biologia, etc. Além disso, o profissional precisa estar em constante atualização sobre as tendências e as novas tecnologias do mercado. É importante também apresentar capacidade de concentração, de gerenciamento, organização, criatividade e ser muito meticuloso. 

 

O curso
O Curso de Engenharia de Alimentos foi reconhecido pelo MEC em 1971, passando então a possuir uma formação voltada para as tendências do mercado de consumo dos alimentos, conservação e produção dos produtos alimentícios. A grade curricular dos dois primeiros anos da graduação é baseada nas disciplinas de matemática, química, físico-química e termodinâmica. Após esse período o currículo se aprofunda em matérias mais específicas como: nutrição, matérias-primas, microbiologia, biologia, estatística, economia, administração, cálculo, bioquímica, tecnologias de engenharias de alimentos. 


Duração média 
Bacharelado – 10 semestres

 

Mercado de Trabalho
O mercado de trabalho para um Engenheiro de Alimentos é muito amplo, pois com o passar do tempo as pessoas tem buscado cada vez mais alimentos industrializados. Além disso, tem ocorrido um grande aumento no número de empresas multinacionais de produtos alimentícios. No Brasil, as regiões Sul e Sudeste são destaques nas buscas por contratações de engenheiros civis, pelo fato de serem as regiões que mais abrigam indústrias alimentícias. Nos últimos anos as grandes redes de supermercados e as de fast food tem gerado o aumento na quantidade de contratações de engenheiros alimentícios, onde os profissionais são responsáveis pelo controle de qualidade dos produtos de marca própria (embalados pelo supermercado). 

Outro setor que tem beneficiado o crescimento da profissão é o marketing de alimentos, devido aos conhecimentos que o engenheiro possui sobre alimentação, aditivos e equipamentos. Além disso, o crescimento da profissão leva ao aumento da demanda dos cursos de graduação da área, abrindo oportunidades para professores universitários. 


Formas de Atuação
O engenheiro de alimentos atua em indústrias que trabalham com máquinas e produtos alimentícios, podendo ser empreendedores, consultores, gerentes, supervisores, etc; de restaurantes ou empresas de produção de alimentos. Geralmente no início da carreira os recém-formados desenvolvem atividades técnicas de supervisão em empresas de iniciativa privada ou em instituição de ensino e pesquisa. Com a evolução da vida profissional o engenheiro assume cargos de direção e muitas vezes de comando organizacional. Na maioria das vezes, quando o profissional chega ao topo do seu crescimento na profissão, ele abre uma empresa de consultoria ou assessoria para auxiliar no mercado de trabalho. 

 

Campos de Atuação 
Armazenamento e transporte
(estudo o processo de preparação dos alimentos buscando a garantia de qualidade do produto acabado)

Automação de processos
(planejamento e implantação de linhas automatizadas de produção)

Consultoria
(prestação de assessoria, desenvolvimento de produtos e implementação de sistemas de controle de qualidade)

Controle de qualidade dos alimentos
(organização e inspeção dos processos que garantem a e qualidade das matérias-primas e dos produtos processados nas indústrias alimentícias)

Pesquisa e desenvolvimento de produtos e embalagens
(criação de novos alimentos e aperfeiçoamento dos alimentos que já estão no mercado)

Planejamento e projetos
(verificação e avaliação da viabilidade de construções de novas indústrias; além de estudar as oportunidades do mercado de trabalho) 

Produção
(seleção de máquinas e equipamentos de fábrica, desenvolvimento e aperfeiçoamento dos processos de produção, administração das equipes e das etapas de produção visando amento de produtividade, redução os custos e garantia da qualidade do trabalho)

Tratamento de resíduos
(desenvolvimento de métodos de descarte e reciclagem dos resíduos da indústria visando a sustentabilidade e a proteção do meio ambiente)

Vendas técnicas e marketing
(visualização da comercialização de matérias-primas, ingredientes e equipamentos para a indústria alimentícia através do desenvolvimento da própria indústria)

 

Regulamentação da profissão 
No Brasil a profissão de Engenheiro de Alimentos é regulamentada pela Lei nº 5.194, de 24 de dezembro de 1966, Resolução nº 208, de 9 de junho de 1972, e Resolução nº 218, de 29 de junho de 1973.

 

Quantidade média de profissionais
Atualmente estima-se que existam cerca de 40 mil profissionais atuando no mercado de trabalho em todo o país. 

 

Remuneração média
R$ 2 mil a R$ 3,5 mil para profissionais recém-formados. 

 

Exigências para exercício da profissão
Para exercer a profissão o profissional precisa ser graduado em engenharia de alimentos e estar registrado no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea)

 

A opinião de quem entende
O Super Vestibular quer saber como é a sua experiência como engenheiro de alimentos ou estudante da área. Conte-nos!

 

VEJA TAMBÉM

1 2