Economia

Curso de Economia não se restringe apenas às disciplinas de Exatas.

Publicado por Wanja Borges em Ciências Humanas

Compartilhe

O profissional graduado em Economia pode exercer a profissão na área de gestão de negócios de qualquer ramo
O profissional graduado em Economia pode exercer a profissão na área de gestão de negócios de qualquer ramo

A realidade econômica do país e, principalmente, a necessidade de reduzir a desigualdade social no Brasil são aspectos que demonstram, ainda mais, a importância do economista nos dias atuais. Considerado como responsável por criar, administrar e aumentar riquezas, o economista é o profissional que, através do exercício da sua profissão, contribui para o desenvolvimento e qualidade de vida da população. 

Elaboração de análises econômicas, implementação de modelos matemáticos, apresentação de soluções para problemas econômicos são algumas das competências do profissional graduado no curso. Normalmente, os graduandos não se identificam com o curso no primeiro ano, entretanto, o índice de desistência da graduação ainda é baixo. 

 

Público-alvo
Habilidade numérica, espírito empreendedor e interesse por pesquisas, leitura e estudos são algumas das principais características para quem deseja atuar como economista. Além disso, boa memória, debate, curiosidade, observação, trabalho em equipe e senso crítico também contemplam a lista de exigências da profissão. Para se destacar no mercado, é imprescindível constante atualização, fluência em línguas, proatividade e domínio de conceitos básicos de informática. Para os que têm possibilidade de estudar fora do país, a experiência cultural também é considerada como um diferencial. 

 

O curso
Ao contrário do que muitos pensam, o curso de Economia não se restringe apenas às disciplinas da área de exatas. Pelo contrário, a grade curricular da graduação também divide espaço com matérias de ciências humanas. Contudo, ter habilidades com essas duas áreas não é suficiente. É preciso se atualizar sobre assuntos relacionados ao segmento com frequência. 

Disciplinas como História da Economia, Contabilidade, Cálculo, Introdução à Administração, Economia Política, Sociologia, Formação Econômica do Brasil, Teoria Econômica, Macroeconomia, Microeconomia, Língua Portuguesa, Matemática, Ética são algumas das disciplinas ministradas no decorrer do curso. Em certas instituições de ensino, o aluno conta com matérias optativas durante a graduação e ainda pode decidir por pilares específicos no final do curso.

 

Duração média 
Bacharelado – 8 semestres

 

Mercado de Trabalho
Geralmente, os profissionais da área de economia dividem espaço no mercado de trabalho com graduados em informática, direito, engenharia e/ou administração. Tal concorrência não contribui diretamente para a saturação do mercado, contudo, os critérios de contratação passam a ser mais exigentes e as empresas começam a ter preferência por profissionais especializados. 

Bancos de investimentos, corretoras, distribuidoras, organizações públicas e privadas, instituições de ensino superior, departamentos de finanças e análises e empresas jornalísticas são alguns dos estabelecimentos que demandam o economista para melhorar o resultado, inclusive financeiro, de sua organização. Para os recém-formados, grande parte das oportunidades se concentra em setores em crescimento, como empresas de seguro e previdência privada, setor de transportes, energia e de telecomunicações. 

 

Formas de Atuação
O profissional graduado em Ciências Econômicas pode exercer a profissão na área de gestão de negócios de qualquer ramo, em universidades, no setor de pesquisa, bolsas de valores etc. Com uma formação multidisciplinar, o economista também pode se tornar um profissional empreendedor e montar seu próprio negócio visando oferecer consultorias para empresas do segmento. 

No início da carreira, o profissional normalmente se dedica a atividades mais operacionais, como construção e análise de planilhas de custos e balanços. Com o passar do tempo, ele pode assumir cargos de analista, gerente, diretor e até mesmo empreendedor. Várias oportunidades também são oferecidas em concursos públicos. 

 

Campos de Atuação 
Elaboração da Viabilidade Econômica de Projetos
(análise de viabilidade de projetos, responsabilidade técnica sobre projetos de investimentos, estudo de custos, avaliação de fontes financeiras, estruturação do fluxo de caixa, apuração de índices econômico-financeiros etc.)

Economia Empresarial
(desenvolvimento de estudos e análises de macro, microeconomia, socioeconômicas e/ou gestão empresarial etc.) 

Orientação Financeira
(análise da rentabilidade e aplicabilidade dos projetos, observação das perspectivas de mercado, coordenação da aplicação de investimentos fiscais e financeiros, elaboração de orçamentos, receitas e despesas etc.) 

Mercado Financeiro
(acompanhamento da conjuntura econômica em bancos, realização de estudos de mercado para identificar novo cliente, planejamento e programação empresarial etc.)

Consultoria e Assessoria
(prestação de serviços de consultoria e assessoria, planejamento estratégico, estudos e pesquisas de mercado, análise de macro e microeconomias etc.)

Assessoria de Projetos Agroindustriais/Agrobusiness
(análise de ameaças e oportunidades, definição de custos de produção agrícola, demandas por commodities no Brasil, acompanhamento da conjuntura econômica do país, desenvolvimento de estudos e projetos setoriais para agroindústrias e agrobusiness etc.) 

Desenvolvimento de Projetos de Infraestrutura
(implantação e/ou modernização da infraestrutura econômica e social de áreas geográficas, formulação de estratégias para investidores, análise de concorrentes e suas estratégias etc.) 

Orientação em Comércio Exterior
(diagnóstico das economias de outros países com comparação da situação brasileira, identificação de áreas de investimentos e comércio etc.) 

Elaboração de Estudos Mercadológicos
(elaboração de estudos de mercado e de comercialização, identificação de demanda de consumo etc.) 

Orçamentos
(elaboração e execução do acompanhamento físico e financeiro do orçamento, detalhamento de gastos, custos e investimentos, acompanhamento na elaboração de leis gerais, a exemplo da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) etc.) 

Ensino
(ensino de disciplinas na área econômico-financeira em cursos de graduação ou pós-graduação etc.) 

Perícia
(realização de perícias de natureza econômica ou financeira, desenvolvimento de atividades de cálculo em processos judiciais etc.) 

Arbitragem
(indicação de solução técnica para resolução de controvérsias de natureza econômica ou conflitos de qualquer ordem etc.) 

Setor Público
(análise econômica em áreas do setor público, como planejamento, orçamento, financiamento, análise da conjuntura econômica e assessoria geral; formulação de diretrizes, avaliação da conveniência de financiamentos, identificação das melhores oportunidades de investimentos etc.) 

Análise de Conjuntura Econômica e Pesquisas
(análise de informações demográficas e socioeconômicas, estudos setoriais globais e de competitividade setorial etc.) 

Entidades
(orientação política de entidades de classe, organização de banco de dados, elaboração de documentos de teor econômico, orientação sobre reflexos de medidas etc.) 

Consultoria em Fusão, Aquisição e Incorporação de Empresas
(avaliação econômica dos empreendimentos, análise do fluxo de caixa da organização etc.)  

Recálculo de Contratos
(análise de contratos, auditagem de contas, conferência de dados, revisão de contratos antigos etc.) 

Diversas Assessorias Econômicas
(análise de medidas econômico-financeiras, contribuição no aumento da participação no mercado, análise de taxas de câmbio e juros, interpretação de fatos econômicos etc.) 

Estudo e Orientação de Viabilidade Econômica de Novas Empresas
(planejamento organizacional, metodologia vivencial e participativa, definição de políticas de treinamento etc.) 

Desenvolvimento e Planejamento Econômico
(estabelecimento de estratégias de desenvolvimento socioeconômico, criação de medidas para avançar as metas implementadas na empresa etc.)

Criação de Projetos para Obtenção de Financiamentos
(elaboração de propostas para obtenção de recursos etc.) 

 

Regulamentação da profissão 
Lei nº 1.411, de 13 de agosto de 1951

 

Quantidade média de profissionais
Mais de 80 mil profissionais recém-formados no Brasil 

 

Remuneração média
R$ 1.800,00 para profissionais recém-formados
R$ 4.150,00 para profissionais com experiência de mercado
R$ 9.210,00 para profissionais sêniores 

 

Exigências para exercício da profissão
Diploma de conclusão de curso de bacharelado em Economia;
Habilitação legal - Registro Profissional no Conselho Regional de Economia.

 

A opinião de quem entende
O Super Vestibular quer saber como é a sua experiência como economista ou estudante da área. Conte-nos!

 

VEJA TAMBÉM

1 2