Astronomia

A característica interdisciplinar do curso de Astronomia tem sua base teórica nas disciplinas de física e matemática.

Publicado por Rafael Batista em Ciências Exatas

Compartilhe

Observatórios fazem parte do local de trabalho de astrônomos.
Observatórios fazem parte do local de trabalho de astrônomos.

Astronomia é a ciência que estuda o universo, comparando conceitos físicos com análises realizadas por meio de instrumentos tecnológicos. O astrônomo investiga a origem, a evolução do cosmo e, com telescópios e câmeras, observa os astros e capta imagens para pesquisar seus movimentos, localização no espaço e formação química. O profissional de astronomia avalia também a estrutura e a velocidade de movimentação dos planetas e outros elementos cósmicos com o uso das tecnologias e modelos matemáticos. Trata-se de uma ciência natural que também está preocupada com os fenômenos que tem origem fora da atmosfera da Terra.

Público-alvo

Para ingressar nos estudos da Astronomia é preciso possuir interesse pela natureza e sua preservação, gostar de práticas ao ar livre, prezar por assuntos científicos e questões sociais, ter perfil pesquisador, desenvoltura para trabalhar em equipe e, além de tudo isso, possuir habilidade para lidar com cálculos. Para uma carreira de sucesso é fundamental a vivência, treino, análise e síntese, estruturados com o enfoque observacional que o habilite a refletir no contexto astronômico.

Curso

A Grade Curricular do Curso de Astronomia é composta por uma base teórica formada pelas disciplinas de física, matemática e de outras áreas afins e é formada por núcleos básico e avançado. O caráter interdisciplinar do curso prepara os acadêmicos para vários campos de atuação. A formação é basicamente voltada para a formulação e resolução de problemas nas áreas de astrofísica, astronomia computacional, entre outros.

No decorrer da graduação os estudantes tem a instrução suficiente para enfatizar o desenvolvimento de códigos numéricos e à área de instrumentação ou de divulgação científica. Ainda durante o curso são realizadas atividades práticas em laboratórios e observatórios, além do desenvolvimento de projetos acadêmicos.

Duração Média

4 anos

Mercado de Trabalho

Atualmente, o Brasil conta com 30 planetários. O aumento neste número e a maior utilização de satélites por empresas de tecnologia estão abrindo campo de trabalho para quem desenvolve atividades com astronomia. Além disso, os institutos de pesquisa que utilizam o processamento de imagens de satélite precisam dos serviços prestados pelo astrônomo.

Possibilidades de atuação

O campo de atuação de um astrônomo pode ser dividido basicamente em duas áreas: Astronomia Teórica e Astronomia Observacional. Os Observadores usam vários meios para obter dados sobre diversos fenômenos, que são utilizados pelos Teóricos para conceber e testar hipóteses e sistemas, para comprovar observações e prever novos resultados. O observador e o teórico não são necessariamente pessoas distintas.

O formado na área também pode exercer a função de Professor das disciplinas de física, matemática ou astronomia no ensino Médio. Pode ainda atuar em universidades, observatórios e centros de pesquisas espaciais, pesquisando a física e a dinâmica dos corpos celestes, seu tamanho, movimentos, constituição química, origem e evolução.

Quantidade média de profissionais:

O Brasil possui hoje aproximadamente 1.000 astrônomos.

Exigências para o exercício da profissão:

Para trabalhar como professor ou pesquisador em Universidades, o bacharel em Astronomia precisa fazer também uma pós-graduação. Para atuação nas salas de aula do ensino médio é necessário ser licenciado em Física.

Onde o curso é oferecido:

Região Nordeste:
Sergipe: UFS (São Cristóvão)

Região Sudeste:
Rio de Janeiro: UFRJ (Rio de Janeiro)
São Paulo: USP (São Paulo)

Opinião de quem entende

O Super Vestibular quer saber como é a sua experiência como Astrônomo ou estudante da área. Conte-nos através do e-mail contato@supervestibular.com

VEJA TAMBÉM

1 2