Arqueologia

Responsável por conduzir pesquisas sobre comunidades antigas, o Arqueólogo atua em áreas de preservação histórica.

Publicado por Rafael Batista em Ciências Humanas

Compartilhe

Entre outras coisas, o Arqueólogo estuda a história da humanidade por meio de objetos que indicam a presença humana.
Entre outras coisas, o Arqueólogo estuda a história da humanidade por meio de objetos que indicam a presença humana.

A Arqueologia é a ciência responsável por estudar os vestígios materiais de presença humana em lugares que foram ocupados por antigas sociedades, com a finalidade de compreender os diversos aspectos culturais da humanidade. Nesta definição inicial é possível notar a diferença entre Arqueologia e a Paleontologia, pois esta segunda não estuda os vestígios humanos, mas das outras espécies de seres vivos: animais e plantas.

O Arqueólogo é o profissional que estuda as mudanças culturais por meio de registros concretos encontrados nas regiões em que houve alguma ocupação humana no passado. Além disso, com a Arqueologia é possível conhecer e compreender aspectos de civilizações que não existem mais, por meio de seus legados materiais.

Esta ciência tem uma relação bem próximas com outras Ciências Humanas e da Terra, como História, Geografia, Antropologia e Geologia. A relação com essas outras áreas é fundamental para a conclusão das pesquisas realizadas pela Arqueologia.

Atualmente, o Brasil conta com mais de 12 mil sítios arqueológicos catalogados, a maior concentração é no estado do Piauí, no Parque Nacional da Serra da Capivara. É também no Piauí, na cidade de São Raimundo Nonato, que é ministrado o curso de Arqueologia mais antigo do país, na Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf).

Público-alvo

Para ajudar nos estudos é indispensável ter afinidade com as disciplinas que estão relacionadas com esta ciência, especialmente Geografia e História. Estar sempre atualizado com temas sociais e culturais e ter interesse pelas artes podem facilitar a vida do estudante.

Na área profissional, é necessário que o Arqueólogo seja detalhista e tenha gosto por pesquisas e investigações científicas. Possuir capacidade de análise e ser curioso são outras características que também contribuem para o bom desempenho do ofício.

O curso

A base curricular do curso de Arqueologia é bem específica, com matérias como as de Introdução à Arqueologia, Pré-História, História Antiga, Bioarqueologia e Zooarqueologia. Há ainda conteúdos interdisciplinares, como Geologia Geral, Topografia e História da Arte.

Por ter boa parte do trabalho realizado em campo, algumas disciplinas são desenvolvidas em áreas de pesquisas ou laboratórios específicos. Nas aulas práticas, os estudantes são levados a desenvolver métodos e técnicas arqueológicas de estudos.

Duração Média

8 períodos – 4 anos

Mercado de Trabalho

Com a grande quantidade de sítios Arqueológicos no Brasil e o reduzido número de cursos na área, há uma grande carência de profissionais formados. Além disso, desde 1986, o Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) exige que obras de grande porte, como hidrelétricas e ferrovias, tenham no relatório de impacto ambiental o parecer de um Arqueólogo, que indica se há ou não sítios arqueológicos no espaço destinado à construção.

Formas de Atuação

Os Arqueólogos são profissionais habilitados a trabalhar em assessorias para as entidades públicas, realizando estudos e fornecendo laudos inerentes ao patrimônio cultural e natural. Ele também conduz pesquisas científicas e procede a coleta de objetos arqueológicos em áreas de preservação. Pode ainda realizar consultoria em grandes empresas da inciativa privada que atuam em áreas de exploração mineral, agrícola e imobiliária.

A atuação em museus, cuidando de materiais arqueológicos, e a docência e pesquisas em universidades são outras opções do mercado para esta área.

Campos de Atuação

Pesquisa arqueológica
- Realizando estudos em sítios arqueológicos e desenvolvendo ações de preservação e recuperação do patrimônio histórico;

Laudos
- Análise de regiões nas quais devem ser empreendidas grandes obras, considerando possíveis impactos em áreas preservadas;

Museus
- Curadoria de exposições e de acervos arqueológicos;

Turismo cultural
- Roteiros e exposições que tornem públicas as pesquisas e os artefatos recolhidos, como patrimônio cultural;

Academia
- Pesquisas desenvolvidas pelos departamentos de Arqueologia, Antropologia e História das instituições de educação superior.

Regulamentação da profissão

Apesar da Lei 3.924/1961 tratar dos monumentos arqueológicos e pré-históricos e de estar listada na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), a profissão de Arqueólogo ainda não é regulamentada. No entanto, o projeto de Lei 5.456/2016, que está em tramitação no Congresso Nacional, prevê as normas para esta categoria.

Remuneração média

Os salários variam, conforme e experiência e região de atuação, com um valor médio de R$ 4 mil.

Exigências para o exercício da profissão

Apesar de não haver regulação na área ainda, boa parte das empresas que contratam esses profissionais preferem aqueles que tenham formação superior e experiência na área.

VEJA TAMBÉM

1 2