Home Notícias Polícia Federal deflagra duas operações por suspeitas de fraudes no Enem 2016

Polícia Federal deflagra duas operações por suspeitas de fraudes no Enem 2016

As investigações levou ao cumprimento de diversos mandados judiciais.

Publicado por Rafael Batista em 07 de Novembro de 2016 às 08:26 em Notícias

Compartilhe

Em virtude da realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 no último final de semana, a Polícia Federal (PF) deflagrou duas operações com o objetivo de impedir possíveis fraudes durante a realização do exame. Foram realizadas investigações nos estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba, Tocantins, Amapá e Pará e Minas Gerais.

Segundo os dados divulgados pela própria PF durante as operações foram cumpridos 30 mandatos judiciais, entre busca e apreensão, prisão, condução coercitiva e sequestro de bens. As investigações foram feitas com o apoio do Ministério da Educação (MEC) e do Ministério Público Federal (MPF).

Confira a correção comentada do Enem 2016.

Balanço das operações

A Operação Embuste, realizada em Minas Gerais, investigou ao envolvimento de organizações criminosas em tentativas de fraudes no Enem. De acordo com a PF, os investigados já teriam fraudado pelo menos dois vestibulares em Goiás e na Bahia. Só nesta operação foram cumpridos quatro pedidos de prisão temporária.

Nesse caso, os presos poderão responder pelos crimes contra a fé pública, o patrimônio, a paz pública, entre outras infrações. Se condenados, as penas podem ultrapassar 20 anos.

Já a Operação Jogo Limpo foi realizada nos estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba, Tocantins, Amapá e Pará. Segundo a PF, as investigações levaram a 22 pessoas suspeitas de fraude, a partir da análise de gabaritos apresentados em anos anteriores. 

Se confirmado o crime, os investigados podem responder pelos crimes de estelionato, uso de documento falso, fraude em certame de interesse público e crime por integrar organização criminosa.

Enem 2016

O Inep informou na noite de ontem (6) que 567 candidatos foram eliminados no primeiro dia e outros 201 no segundo dia de provas. Entre os casos registros está o caso de um estudante preso com escuta em Fortaleza e outra, de Capitão Poço (PA), que portava o aparelho celular dentro de um pacote de biscoito. Entre os eliminados também estão os atrasados e aqueles que não portavam o documento necessário para identificação.

Outros 269 mil inscritos não realizaram o exame nesta oportunidade por causa da ocupação de prédios públicos por parte de manifestantes. Para estes o Enem foi remarcado para os dias 3 e 4 de dezembro de 2016.

Com informações da Agência Brasil

VEJA TAMBÉM

1 2